O que é RSS?

RSS significa Really Simple Syndication, que em português se traduz em Distribuição Realmente Simples. Em outras palavras é uma maneira de publicar conteúdos para que outras pessoas tenham acesso.

Quando você cria um blog, adicionar um RSS feed é muito importante pois permite aos seus leitores utilizar-se dos chamados Leitores de RSS para assinar o seu blog e passar a ser informados de todo o conteúdo que você publica.

Esta é a ferramenta web equivalente a ativar o sinozinho no YouTube.

Antes de falarmos como você pode adicionar um RSS ao seu blog, vamos falar sobre como você pode utilizar RSS para ficar atualizado quando algum website que você gosta de ler adiciona uma novo artigo.

Por simplicidade, vou usar este meu blog como exemplo. Então digamos que você queira assinar este blog para receber as novidades no seu leitor de RSS.

Primeiramente, você terá que escolher um leitor de RSS. Isso irá depender da plataforma que você está, ou se você prefere uma ferramenta desktop ou web. Vou listar algumas ferramentas para que você possa ter um ponto de partida, porém quando você já estiver familiarizado e usando um leitor RSS por algum tempo, recomendo que você experimente com alternativas para encontrar o que atenda melhor o seu gosto.

NetNewsWire

Este é o meu leitor preferido no Mac, ele é fácil de usar e me deixa categorizar os websites que sigo. Caso você também use uma Mac, comece usar um leitor RSS instalando o NetNewsWire que pode ser baixado no próprio website da ferramenta. O NetNewsWire é de código aberto e gratuito.

Reeder

Já no iPhone o meu leitor de RSS é o Reeder. Ele é muito fácil de usar e tem funcionalidades muito interessantes como o “Bionic Reading” que deixa partes do texto em negrito para facilitar uma leitura mais rápida. O Reeder pode ser baixado na App Store e tem um custo de R$ 24,90. Caso não queira fazer este investimento, sugiro baixar a NetNewsWire para iPhone.

RSS Feed Fetcher

Para quem está no Windows, uma boa solução é o RSS Feed Fetcher. Ele é grátis e pode ser baixado na loja do Windows.

Feeder

Para Android, um aplicativo de leitor RSS que também é de código aberto é o Feeder. Ele é gratuito e pode ser baixado no Google Play.

Aplicativos baseados na Interface Web

Agora iremos falar de aplicativos que são leitores de RSS que funcionam na Web. Basta usar um navegador tanto no seu computador, como no seu smartphone e você terá acesso aos RSS que você estiver assinado. Muitos destes também oferecem aplicativos nativos para o celular.

Inoreader

Um dos sistemas web de leitor RSS mais populares, ele fornece uma plano grátis que atende muito bem, Para começar a usar basta entrar no website e criar uma conta.

Feedly

Feedly uma outro leitor RSS que possui uma interface web. Gratuito para uso pessoal, cria usa conta com Feedly.com para começar a usar.

Fresh RSS

Com código aberto, o Fresh RSS é uma alternativa caso você queira rodar o seu próprio servidor de RSS. Existem também websites que oferecem contas gratuitas.

Miniflux

Um leitor de RSS minimalista, o Miniflux também é open source e lhe permite hospeda-lo no seu próprio servidor. Também existem serviços pagos e bastante atraentes que irão cuidar da hospedagem para você e você só precisa usar.

Como assinar um RSS

Agora iremos ver como assinar um RSS, é muito fácil. Ao visitar um site que você deseja assinar, basta procurar pelo símbolo do RSS que geralmente se parece com este aqui:

Alguns sites apenas fornecem um link com os títulos RSS ou simplesmente Feed. Outros usam o título Assine no link. O que você deve fazer em todos estes casos é, clicar com o botão direito do seu mouse e escolher Copiar link.

Com o link copiado na sua área de transferência basta no aplicativos que você escolheu da lista acima e procurar pelo botão de adicionar, geralmente o sinal de +. Clique no ícone de adicionar e cole usando Ctrl+V (ou Command+V no Mac) o link RSS que você copiou anteriormente.

Pronto, agora toda vez que o website publicar um novo artigo ele parecerá dentro do seu leitor de RSS.

Vamos testar com este blog? Basta seguir os passos acima com este link Assinar. Voilá, agora cada artigo novo que eu colocar neste website aparecerá no seu Leitor RSS, simples assim.

Adicionando RSS no seu Blog ou Website

Agora o outro lado da moeda. Quando você tem um website ou blog e deseja oferecer um RSS para seus leitores.

O grau de dificuldade de oferecer um RSS vai depender o sistema no qual o seu website ou blog usa. A boa notícia é que na maioria do sistemas de CMS o RSS já está disponível e você não irá precisar fazer nada extra para que seus leitores possam usa-lo.

Este é o caso se você usar CMS como o Wordpress, Ghost, Micro.blog, entre muitos outros. Já nos geradores de sites estáticos como Hugo, 11ty, Gabsy e outros, eles tão são criados automáticos com a geração dos posts. Porém caso você não use um CMS ou geradores estáticos e crie suas páginas em HTML manualmente, você irá ter que usar um script para criar o seu RSS ou cria-lo manualmente também.

Como criar um RSS manualmente

Segue abaixo um exemplo de um RSS, você pode notar que apesar de ser um formato um pouco diferente de HTML, neste caso RSS usa o formato de XML, ele é relativamente fácil de entender. A dificuldade fica em cria-lo, mas neste caso o exemplo está aqui para te ajudar.

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8" ?>
<rss version="2.0">

<channel>
  <title>Apple RSS feed</title>
  <link>https://www.example.com/apple.xml</link>
  <description>This RSS feed is about Apple products</description>
  
  <item>
    <title>Apple iPhone</title>
    <link>http://example.com/iphone/</link>
    <pubDate>Sun, 23 Jun 2024 19:00:00 -3000</pubDate>
    <description>The iPhone is a line of smartphones designed and marketed by Apple Inc</description>
  </item>
  
  <item>
    <title>Apple MacBook</title>
    <link>http://example.com/macbook/</link>
    <pubDate>Sat 15 Jun 2024 9:00:00 -3000</pubDate>
    <description>The MacBook is a brand of Macintosh notebook computers designed and marketed by Apple Inc</description>
  </item>
</channel>

</rss>

Vou enfatizar aqui as partes mais importantes. Como você pode perceber, existe uma hierarquia no código XML acima. Temos <title> logo no começo que se refere ao título do blog. Um pouco mais para baixo temos <item> e este representa o início de um blog post, repete-se <title> novamente, porém por estar abaixo de <item> este se refere ao título do blog post. O <link> é o URL para seu blog post, isso é o endereço do post na web. A <description> também abaixo de <item> é ontem irá o conteúdo do blog post e aqui podemos usar html para que images e links sejam mostrado dentro do leitor RSS que nossos leitores estarão usando.

Você pode salvar este arquivo com o nome de rss.xml (ou qualquer outro nome porém é padrão usar a extensão xml) e colocar este arquivo no seu servidor junto com seus outros arquivos html que compõem seu blog.

Temos mais um passo e este é colocar na página do seu blog a tag para o RSS. Para isso devemos usar a tag <link> e coloca-la abaixo da tag <head>.

<link href="https://www.example.com/rss.xml" rel="alternate" type="application/rss+xml" title="Título do Blog" />

Seguindo estes passos, você irá conseguir criar seu RSS manualmente, não é difícil, especialmente porque se você está criando um RSS manualmente é porque você já deve estar criando seus HTML manualmente também.

É possível usar um script também para facilitar esta tarefa, no futuro irei mostra como pode ser feito.

Espero que este post te ajude a iniciar com RSS tanto para começar a seguir blog e websites que você lê, como para criar no seu próprio website esta opção para seus leitores.

Bom, hoje tivemos muito conteúdo, se você ficou com alguma dúvida entre em contato comigo, meu email está na página Sobre.

Um abraço e até a próxima.

Ferramentas para criar um blog

No último post, escrevi sobre como escolher sua identidade na web e hoje iremos abordar as ferramentas para você criar o seu blog.

De forma similar a escolher um domínio, escolher uma ferramenta para criar o seu blog ou website é importante porém não tanto quando o conteúdo, principalmente porque você pode mudar de ferramenta no futuro. Eu mesmo desde 2004 quando comecei meu blog, iniciei numa plataforma grátis que nem existe mais, passei para o Wordpress, depois para o Jekyll e atualmente meu blog pessoal usa Hugo. E este blog por sua vez usa ClassicPress.

Como vocês podem perceber não existe falta de opções, mas qual ferramenta escolher? Isso vai depender do seu conhecimento e também do seu interesse de aprender sobre estas ferramentas e o nível de envolvimento que você deseja. O objetivo deste artigo é ajudar você a ter informações suficientes para fazer esta escolha.

Tipos de ferramentas

De uma forma geral eu divido estas ferramentas nas seguintes categorias: gratuitas, pagas, estáticas e dinâmicas. Existiram ferramentas gratuitas estáticas e dinâmicas e pagas estáticas e dinâmicas, então esta minha categorização é multidimensional, isso é, se fossemos criar uma tabela na colunas teríamos Gratuitas e Pagas e na linhas da tabela teríamos Estáticas e Dinâmicas.

Gratuitas

Como você pode imaginar ferramentas gratuitas você não precisa pagar nada por elas. No geral são ferramentas muito boas mas terão alguma limitação. A limitação que julgo ser mais desvantajosa é que geralmente você não terá controle sobre o seu website, em outras palavras ao invés ter seu site no seu próprio domínio, como seunome.com.br será algo como seunome.nomedaplataforma.com.br.

Outra desvantagem seria se esta plataforma gratuita resolver fechar por qualquer razão você pode ficar sem seu website se não tiver um backup do conteúdo publicado, e terá que mudar de ferramenta.

Interessantemente, muitas destas ferramentas gratuitas oferecem a opção paga que lhe dará controle sobre seu website permitindo usar seu próprio domínio. Portanto pode ser uma excelente opção começar usando a ferramenta gratuita e depois passar a pagar para se beneficiar deste controle maior, não precisando para isso mudar de ferramenta.

Existem também as opções gratuitas que lhe oferecem a possibilidade de usar um domínio próprio, porém geralmente requerem um pouco mais de trabalho, nada que com um pouco de aprendizado qualquer pessoa pode fazer. No futuro estaremos publicando tutorials ensinando como usar tais ferramentas.

Pagas

Quando pagamos por um serviço muito provavelmente teremos mais flexibilidade, porém nem sempre é o caso, aqui estarei compartilhando ferramentas e plataformas que acredito dão flexibilidade ao usuário.

Quando falo em flexibilidade estou falando de duas coisas, você pode usar seu próprio domínio e você pode mudar de plataforma, ferramenta ou provedor a qualquer momento, por qualquer razão que seja.

Lembre-se o que estamos querendo focar aqui é que o seu site ou blog, seja isso mesmo, seu.

Sites estáticos

Como disse antes, um site estático pode ser gratuito ou pago. Na verdade, ser estático significa que após a página na web for criada a mesma só será alterada quando alterações forem feitas em seu arquivo.

Por exemplo, você cria uma página que diz Bem-vindo(a) ao meu website. Um vez publica está página não terá seu conteúdo alterado. Para que seja alterado você terá que editar o seu texto.

Em outras palavras o site estático é criado uma única vez e depois apresentado sempre que acessado sem requerer nenhum processamento. Com isso, estes sites estáticos são mais rápidos de serem carregados que os sites dinâmicos, mas oferecem menos flexibilidade, como por exemplo para se ter um sistema de comentários no website é preciso usar uma outra ferramenta que cuide apenas dos comentários do site.

Sites dinâmicos

Assim como sites estáticos, os sites dinâmicos pode ser gratuitos ou pagos. Um site dinâmico será criado e apresentado toda vez que for acessado, com isso este tipo de site pode ser mais lento para carregar, mas por outro lado permitirá facilmente coletar comentários de seus visitantes.

Ferramentas e Plataformas Populares para Criação do seu Website ou Blog

Wordpress

Sem dúvida uma das ferramentas mais populares, criado em 2003 o Wordpress é uma plataforma CMS, do inglês “Content Management System”, que traduzindo é Sistema de Gerenciamento de Conteúdo. De maneira resumida nada mais é que uma maneira que publicar páginas na web de forma organizada.

O Wordpress é uma plataforma de sites dinâmicos e tem as opções grátis e pagas, além disso é de código aberto o que permite qualquer pessoa baixar e alterar o seu código.

É importante dizer que existe o Wordpress.com e Wordpress.org. No Wordpress.com você pode criar um site gratuito e tê-lo hospedado em seusite.wordpress.com, nest e opção a empresa por trás do Wordpress.com, a Automattic, pode de tempos em tempos apresentar uma propaganda no seu site para ajudar a pagar a conta do servidor, em outras palavras, nada é 100% gratuito.

Além disso, o Wordpress.com oferece planos pagos, e é aqui que começa a ficar interessante, uma vez que além de você estar usando um sistema de código aberto e super flexível como o Wordpress, você estará recebendo o suporte dos criadores do Wordpress.

No planos pagos do Wordpress.com você poderá usar seu próprio domínio, que como já mencionei é uma parte primordial de fazer o seu site ser realmente seu. No momento que eu escrevo este artigo o plano básico do Wordpress.com que vem com o registro de um domínio grátis para o primeiro ano sai por R$144 por ano. Se você puder pagar este valor é uma excelente opção e uma que eu recomendo para a maioria das pessoas.

Já no Wordpress.org você pode baixar o programa do Wordpress e hospedar em qualquer provedor de hospedagem. Na verdade a maioria dos provedores de hospedagem já vem com uma maneira bem simples de instalar o seu website Wordpress, geralmente esta opção é chamada de Instalação de 1-click. Na Hostinger, uma empresa de hospedagem, hoje quem assina o plano de 2 anos, paga o equivalente a R$11,99 por mês (R$ 576 por 2 anos) e também tem registro de domínio grátis por 1 ano, além de poder hospedar até 100 websites na sua conta, quem sabe você não rachar com os amigos (fica a idéia). Mas a Hostinger não é a única empresa que oferece hospedagem de sites no Brasil, longe disso, existem inúmeras outras, algumas delas são Hostgator, Locaweb, Umbler e Via Hospedagem.

Ghost

O Ghost é uma outra plataforma de blogs e websites similar com o Wordpress, que inclusive oferece de hospedar para você em Ghost.org, mas você pode hospedar você mesmo baixando o código aberto na página do Ghost no Github.

Um aspecto interessante do Ghost é que ele é focado em criadores de conteúdo e possui facilidades para a criação de assinaturas e newsletters.

Uma desvantagem para as pessoas que se interessaram em usar o opção de hospedagem oferecida pelo Ghost.org é que os preços são em dólares, hoje no plano anual sai $9 por mês ou $11 por mês se preferir pagar no mês-a-mês.

ClassicPress

Como mencionei no início deste artigo, este blog que você está lendo usa ClassicPress. Inicialmente um fork do Wordpress quando o mesmo passou a usar um editor novo chamado Gutenberg, o que gerou muito descontentamento entre seus usuários. Os desenvolvedores por trás do ClassicPress, descontentes, fizeram o fork da versão 4.9 sem o tal editor Gutenberg.

Muito similar com o Wordpress, a maioria dos themes e plugins do Wordpress irão funcionar no ClassicPress também o que é bem legal. Talvez um problema do ClassicPress, e confesso que fico pensando se fiz a coisa certa em escolhe-lo, é que o Wordpress é tão mais usado e desta forma as correções de bugs são mais rápidas, enquanto no ClassicPress elas possam demorar um poucos mais. Quando pensamos em correções de segurança talvez seja um motivos para ficar bem preocupado, ninguém quer o seu blog hackeado.

Bom, o ClassicPress pode ser baixado e instalado num servidor de hospedagem que você controle e no seu próprio domínio, você terá que pagar por uma hospedagem para poder rodar o ClassicPress. Porém qualquer serviço de hospedagem irá ser compatível e rodar o ClassicPress.

Micro.blog

Micro.blog é um serviço pago porém muito fácil de usar e é adapto dos padrões da web aberta e também da IndieWeb. Ao custo de $5 dólares por mês você pode ter um blog usando o seu próprio domínio.

Junto com o serviço de blog, o Micro.blog tem uma comunidade que funciona mais ou menos com o Twitter/X e trás uma área para você descobrir novos blogs curadoria do time do Micro.blog.

Uma excelente opção para que quer usar um sistema simples e só se preocupar em escrever um bom blog.

Github Pages

Vamos falar de uma opção para hospedagem gratuita de blogs estáticos, o Github Pages. Com ele você pode criar o website apenas usando HTML e CSS ou usando um gerador de sites estáticos (mais sobre isso abaixo).

Ele é totalmente gratuito e permite que você use o seu próprio domínio, porém vai dar uma trabalho a mais. No futuro pretendo escrever tutoriais de como iniciar o seu blog ou website com HTML e CSS e vocês verão que não é fácil criar uma página simples e com aspectos estéticos bons.

Jekyll

O Jekyll é um gerador de sites estáticos e  é uma dos primeiros a ser disponibilizado como um projeto de código aberto. Após instalar o programa na sua máquina você consegue gerar o seu site rapidamente e toda vocês que você adiciona um novo conteúdo pasta rodar um programa uma outra vez para que novas páginas sejam geradas.

Cada novo artigo no seu blog irá corresponder a um arquivo do formato Markdown, que você pode escrever usando qualquer editor de texto. Pode até ser o Notepad do Windows. O Jekyll requer um pouco de familiaridade com a linha de comando, porém não é nada que se possa apreender. Pretendo trazer tutoriais aqui com passo-a-passo para usar o Jekyll e outros geradores de sites estáticos.

Uma vez que seu site é gerado você só precisa fazer o upload dos arquivos para uma hospedagem web ou para o Github Pages (existem outros similares também) que sua página estará publicada na web.

Hugo

Outro gerador de sites estáticos, o Hugo é desenvolvido em Go Lang e tem sua execução muito rápida. Seu funcionamento é muito semelhante ao Jekyll e como tal possui as mesmas possibilidades de publicação, ou hospedagem web ou Github Pages e similares.

Eleventy

Recentemente fiz um teste no Eleventy e achei excelente. Fácil de usar e instalar, este gerador de sites estáticos possui diversas funcionalidades mas a que mais me atraiu foi a simplicidade com a qual podemos usar fontes de dados externas para popular nossos sites.

Eu recomendo dar uma olhada no Eleventy se você quiser usar um gerador de sites estáticos para criar o seu site ou blog.

Bear Blog

O Bear Blog funciona como uma plataforma de blogs muito simples. Tem um plano gratuito que deixa você escrever um blog em um subdomínio na plataforma (seunome.bearblog.dev) e com o valor de $5 dólares por mês, porém com desconto para brasileiros de 30% por questões da diferença da taxa cambial e dos custos de vida, algo conhecido como Purchasing Power Parity ou Paridade do Poder de Compra. Portanto para brasileiros a assinatura anual do Bear Blog sai por $33,60 dólares e dá direito entre outras coisas a fazer upload de imagens no seu blog e usar domínio próprio.

O Bear Blog também é open source, porém mais por uma questão de transparência, mas nada impede que você instale o software no seu próprio servidor.

Mataroa

Outra plataforma de blog simples, ou como o site se apresenta, minimalista. No Mataroa você paga apenas $9 dólares por ano, isso mesmo, por ano. Fiz um teste recentemente e a versão grátis também está deixando fazer uploads de imagens e usar domínio próprio, não sei se é um bug ou realmente é o que estão oferencendo porém não estão divulgando abertamente.

Fazer na unha

Ah! está não é o nome de uma plataforma, fazer na unha é o que eu estou chamando de abrir um editor de texto e escrever o HTML e CSS necessário para por um blog na web. Pode não ser a forma mais fácil e dependendo do objetivo do seu blog não seja recomendável, mas é muito divertido e todo mundo com umas duas horas na mão deveria tentar. Garanto que não precisa ser programador. Prometo que vai ter tutorial aqui também.

Conclusão

Vimos que não faltam opções para você começar o seu próprio blog ou website. A minha idéia principal com este artigo era dar uma visão geral das possibilidades e a partir daqui é possível fazer uma pesquisa mais aprofundada destas ferramentas e escolher uma. Talvez até testar duas ou três e ver qual faz mais sentido para você.

Publicar na web é uma atividade gratificante, nos possibilita compartilha com o mundo todo nossas idéias, paixões e conhecimento. Convido você a começar um blog e ver por si só o quão gratificante pode ser.

Caso você use um leitor de rss feed, assine o rss deste blog para receber sempre que um novo artigo for publicado. Ps.: em breve vai ter tutorial de rss feed aqui também.

Escolhendo a sua identidade na web

Hoje iremos falar sobre escolher a sua identidade na web. Antes mesmo da internet comercial como conhecemos hoje existir, na rede de computadores conhecida como ARPANET viu-se a necessidade de se criar uma maneira de  associar os endereços dos computadores da rede com nomes que fossem fáceis de se lembrar. Então em 1983 foi criado o Domain Name System (Sistema de nomes de domínios), ou DNS ou simplesmente domínios.

Para ter o seu próprio domínio na internet e sua identidade na web é muito simples, você precisa registrá-lo e tem empresas e entidades que fazem isso para você. Ele vai custar um pouco de dinheiro, por exemplo, aqui no Brasil, você pode adquirir um domínio .com.br ou .net.br, etc através do registro.br e por um ano custa R$ 40. Para domínios .com, .net, .org, etc custa em trono de USD$ 10 ou seja, no valores de hoje por volta de R$ 50. Tem também como adquirir este domínios gratuitamente através de um plano de hospedagem e irei abordar isso num artigo futuro.

Por que é importante ter um domínio

Agora que explicamos que sua identidade na web depende da compra de um domínio, vamos falar sobre o porque isso é importante.

Uma vez que você adquire um domínio ele passa a ser seu e você continua sendo seu dono ao pagar taxa de renovação. Ninguém irá tirá-lo de você (salvo você ter adquirido o mesmo de um entidade idônea) e você passará a ter controle sobre o seu website.

Diferente de estar em uma plataforma e/ou rede social onde você pode criar uma página ou manter uma profile, com o domínio o controle é todo seu.

Como escolher o nome do seu domínio

Muitas vezes quando chega a hora de escolher um nome para o seu domínio gastamos um tempo considerável. Sim, o nome é importante, mas não mais importante que o que o conteúdo você irá publicar.

Entre as extensões de domínios a mais comum é o .com, caso você encontre o nome que deseja ainda disponível, está seria uma opção que ajuda na memorização por ser o que todos está acostumados. Porém, hoje existem muitos outros domínios uns até engraçados como .lol, .cool e .meme.

Como estamos falando da sua identidade na web, você pode usar seu próprio nome, apelido ou algo que represente o tópico que você deseje abordar no seu website. Use a sua criatividade, muitas vezes um nome engraçado e criativo ajudam as pessoas a guardarem o seu domínio e facilmente digitar-lo no navegador.

Algumas pessoas gostam de usar o teste de soletrar, isso é, o quão fácil é soletrar este domínio para que uma pessoa anote. Melhor ainda se não precisar soletrar, apenas a simples pronúncia não deixa dúvidas de como é soletrado.

Seja lá qual for o nome que você escolher, tente não gastar muito tempo com isso, o mais importante é ter um nome.  Você sempre pode trocar de nome e usar técnicas de redirecionamento para o novo domínio.

Isso é o que eu tenho para hoje. Obrigado por ler e até a próxima.

Bem vindo

Olá meu nome é Antonio e você pode ler mais sobre mim aqui e aqui.

Neste blog vou procurar escrever sobre IndieWeb e sobre a OpenWeb e suas tecnologias.

Meu objetivo é ajudar e também incentivar qualque pessoal a começar a sua presença na web, seja um blog ou um website, um canto para chamar de seu neste mar que é a internet.

Eu acredito que no mundo moderno ter um website para se expressar é uma for de arte na era da internet, seja por palavras, images, vídeo ou áudio. O mundo digital possibilita esta forma de expressão de maneira bem democrática e acessível para qualquer um. Pelo menos é isso que eu quero mostrar, que sim, a web é acessível a qualquer um.

Então por aqui hora irão encontrar informações de como começar na web, quais ferramentas estão disponíveis, como usar a tecnologias disponíveis para se relacionar com outros espaços na web e um pouco também de idéias para podemos juntos levar a web.

Existem muitas críticas ao caminho que a web tomou e tentarei ao máximo ficar longe destas críticas, ao contrário quero divulgar o que é possível e como nós podemos fazer parte desta possibilidade.

Então vem comigo, se você sabe usar RSS Feeds, assine o meu aqui, mas caso não faça idéia do que seja um RSS, não se preocupe em breve estarei apresentando também esta tecnologia, que muito nos ajudar participar da web.

Obrigado por ler e até a próxima.